Otimistas, alunos da FAAL voltam do Ciência Sem Fronteiras

Uma experiência enriquecedora. É dessa forma que os alunos da FAAL (Faculdade de Administração e Artes), Guilherme Gomes da Silva Miranda e Uly Iannicelli, classificam o intercâmbio que fizeram por meio do programa Ciência Sem Fronteiras.

Os estudantes voltaram otimistas e acreditam que a experiência serviu para enriquecer a vida profissional e pessoal.

Guilherme, de 23 anos, ficou pouco mais de um ano nos EUA, em Rhode Island Providence e, de acordo com o aluno, o período em que passou fora do país serviu para reforçar que ele fez a escolha certa. “Lá, a sociedade encara o designer como ele realmente é. Existe respeito pelo profissional e o mercado reconhece a importância da contratação. A FAAL me deu a base e lá consegui aperfeiçoar em alguns aspectos”, explicou.

O estudante diz ainda que voltou com a certeza de que pretende retornar. “Talvez fazer meu mestrado ou alguma especialização”, destacou.

A aluna Uly foi para a Itália e ficou cerca de um ano em Roma cursando Desenho Industrial. Para ela, a experiência foi marcante porque teve que aprender a conviver com pessoas totalmente diferentes do que estava acostumada. “A FAAL me deu uma base que me permitiu entender o que estudei no exterior. Amadureci muito durante esse período e agora, de volta ao Brasil, estou ainda mais preparada para começar a fazer estágio”, afirmou a jovem que aproveitou os dias em Roma para fazer ainda um curso de Design de Jóia em 3D.

A FAAL aprova o Ciência Sem Fronteiras. Desde o início do projeto, seis alunos foram selecionados para fazer intercâmbio em diferentes países. O coordenador do projeto na FAAL, Tomas Sniker, acredita que a experiência de ambos trará várias oportunidades de crescimento. “Guilherme e Uly foram nossos primeiros alunos a participar do programa. Ambos têm relatado experiências incríveis que viveram neste período no exterior. Tenho certeza que o aprendizado que tiveram trará muitas oportunidades legais e possibilitará a ambos contribuir um pouquinho para o enriquecimento do campo do design no Brasil”, destacou.