EM COMEMORAÇÃO AO DIA INTERNACIONAL DA LUTA CONTRA A DISCRIMINAÇÃO RACIAL: BONECAS ABAYOMI E AÇÕES AFIRMATIVAS NA ARTE E NA EDUCAÇÃO

 

No curso de Artes Visuais da FAAL, a disciplina Prática de Ensino aborda a lei 10.639 de 2003, que estabelece o ensino da História da África e da Cultura afrobrasileira nos sistemas de ensino, o que significa o reconhecimento da importância da questão do combate ao preconceito, ao racismo e à discriminação, com foco na redução das desigualdades.

Uma das atividades desenvolvidas com os alunos na disciplina ministrada pela Profa Rosana Baptistella, mestre e doutoranda em Educação, foi a confecção da boneca Abayomi, termo que significa ‘Encontro precioso’, em Iorubá, uma das maiores etnias do continente africano cuja população habita parte da Nigéria, Benin, Togo e Costa do Marfim.

A história dessas bonecas remete aos navios negreiros, que traziam africanos para serem escravizados no Brasil. Durante a terrível viagem, as crianças eram acalentadas pelas mulheres com as Abayomis, que também eram amuletos de proteção. Feitas apenas de retalhos rasgados de suas saias e vestidos, sem nenhuma costura ou uso de tesouras, linhas, agulhas, cola, mas apenas nós, tranças e amarrações.

As bonecas, símbolo de resistência, têm o mesmo propósito, que é acalentar a quem se presenteia.

01 (1) 02 (2)